Pessoas que vão a festivais de música

Verão é calor, luz do dia até tarde, noites quentes e, fundamentalmente, moças extremamente sensuais com roupas diminutas. Um sonho, portanto. Mas é, também, festivais de música a cada três dias. Festivais de música rock, festivias de música clássica, festivais de música alternativa, festivais de música mais comercial, festivais de música do mundo, festivais de música que ainda nem foi inventada, festivais de francesinhas e de marisco, nos quais também há concertos semi-musicais, como os dos D. A. M. A. e de artistas similares. Há festivais para todos os gostos.

(Veld Music Festival/Flickr)

É sobre o público dos festivais mais concorridos que pretendo discorrer, neste texto. Há dois tipos de pessoas que vão a festivais: as que vão para curtir e as que vão para mostrar que foram. Vou tentar estabelecer algumas diferenças, face a determinados parâmetros.

Companhia
As pessoas que vão para curtir gostariam de poder levar mais dois ou três amigos, para poderem partilhar aqueles dias de festa. As pessoas que vão para mostrar que foram gostariam de poder levar um gestor de redes sociais, para planear todas as publicações no Facebook, no Instagram, no Snapchat, bem como os comunicados de imprensa.

Bandas
As pessoas que vão para curtir têm três ou quatro bandas cujo trabalho acompanham e cujos concertos lhes causam expectativa. As pessoas que vão para mostrar que foram têm três ou quatro publicações, preparadas há dois meses, para mostrar, não só, o quanto amam determinadas bandas, mas também que são as pessoas que mais as amam, no Universo.

Concertos
As pessoas que vão para curtir divertem-se nos concertos, mesmo que não vejam bem o palco. As pessoas que vão para mostrar que foram só se divertem se colocarem o palco todo num ecrã de cinco polegadas.

Localização
As pessoas que vão para curtir procuram os palcos onde estão a decorrer concertos que lhes pareçam interessantes. As pessoas que vão para mostrar que foram procuram locais com boa luminosidade para fotografar, com pouco ruído visual e com pontos para carregar o telemóvel.

Deslocações
As pessoas que vão para curtir parecem um bumerangue, entre o local onde assistem ao concerto e o local onde compram cerveja. As pessoas que vão para mostrar que foram fazem um bumerangue, no Instagram, a beber uma cerveja.

Confusão
As pessoas que vão para mostrar que foram desviam-se das pessoas, para poderem filmar/fotografar com bom ângulo. As pessoas que vão para curtir desviam-se das pessoas que vão para mostrar que foram, porque há um momento em que já chega de tanto telemóvel à frente.

Histórias
As pessoas que vão para curtir trazem boas memórias para partilhar com os amigos. As pessoas que vão para mostrar que foram trazem o cartão de memória a abarrotar.

Balanço
As pessoas que vão para curtir chegam ao fim satisfeitas, porque fizeram a festa com meia dúzia de amigos. As pessoas que vão para mostrar que foram ficam insatisfeitas se só tiverem meia dúzia de likes numa publicação.

Reportagem
As pessoas que vão para curtir contam como foi o festival com uma satisfação que nos deixa colados ao relato dos acontecimentos. As pessoas que vão para mostrar que foram são como um jogo de futebol transmitido em diferido: contam-nos coisas que já todos ficamos a saber pelas redes sociais.

Comentários